quinta-feira, 21 de julho de 2011

O nosso falar: desinsaibido

A palavra aplica-se a quem não tem gosto, não tem paladar para apreciar a comida. E também à própria comida, sem sabor para cativar quem a consome.
Neste aspecto, comida desinsaibida é o mesmo que chalada, sem sabor, por excesso de água e falta de tempero.
Mas o termo usa-se noutras situações sem relação com a comida. Uma pessoa desinsaibida não sabe apreciar, não tem gosto por nada, tanto se lhe dá andar bem como mal vestida, ter uma mesa bonita e com comida bem confeccionada, como uma mesa desorganizada e com comida sem vista, nem sabor. É um pãozinho sem sal.
Normalmente usava-se no feminino. Não que afectasse mais as mulheres, mas porque eram elas que, tradicionalmente, deviam mostrar bom gosto. A falta dele não era problema para os homens, mas era um drama numa mulher, pois a tornava quase incompetente nas funções domésticas que lhe estavam socialmente destinadas.
Não encontrei, nos dicionários, a palavra desinsaibido, mas adivinha-se-lhe a origem: saibido vem de sabor e acrescentou-se o prefixo des para o negar, como fazer e desfazer, coser e descoser, travar e destravar...

2 comentários:

ANA disse...

Sim na minha familia usamos muito essa expressão. Ma há mais... Desde menina que ouço a minha mãe dizer : - " Soube-te a putegas" quando comiamos alguma coisa deliciosa. Perguntavamo-lhe sempre : -Mas o que raio são putegas, e ela respondia :-"Sei lá já a tua avó me dizia isso."

Ora há dias aqui no trabalho quando um colega acabou de comer um lanche eu usei essa mesma frase e é claro que o colega se riu à gargalhada e me perguntou o que são putegas. Dei-lhe a mesma resposta que a minha mãe me dava a mim mas passado uns minutos escrevemos a palavra no google e lá estava a resposta. Quando expliquei à minha mãe o que são putegas ela retorquiu que realmente tem ideia de ver a minha avó a apanha-las no meio dos pinheiros, junto aos cogumelos. literaturas.blogs.sapo.pt/79214.html

José Teodoro Prata disse...

As pútegas da minha infância (anos 60) eram uma variedade de cogumelos que se desenvolviam nas raízes dos matos, de que se alimentavam.
Informa o dicionário que são plantas comestíveis, mas nós só chupávamos o líquido que existia numa bola formada na base do caule.
Também conheço e uso a expressão: "Soube-me a pútegas."
Foi preciso os nossos antepasados terem passado muita fome para tal alimento ter chegado até nós como sinónimo de delícia!