sábado, 14 de maio de 2011

A fonte de 1854

Chamava-se apenas fonte. Só em meados do século XX terá ganho o nome de Fonte Velha, para a distinguir das fontes de Santo António e de São João de Brito, entretanto edificadas na esquina da Rua Velha com a Rua de São Francisco e na Praça, respetivamente.
A Fonte Velha não foi construída no local onde se encontra, mas sim a norte do atual chafariz, imediatamente a seguir à esquina do muro da quinta da Casa Cunha.
Ficou abaixo do nível do chão, pois descia-se para ela, por dois degraus.
Albertino Moreira nasceu em 1920 e ainda se lembra da fonte naquele local. Depois, cerca de 1930, foi trasladada para onde se encontra.
Conta o Sr. Albertino Moreira que, nessa altura, havia uma outra fonte a sul do chafariz, chamada fonte Nossa Senhora de Fátima. Depois foi demolida.


A nossa Fonte Velha foi, pois, construída, no ano de 1854.
À sessão de Câmara de 6 de Agosto, compareceram «...varios moradores desta Villa requerendo a Camara que achando se quasi seca a fonte publica desta Villa requeriaõ a Camara providencias sobre um tao grande mal. A Camara tomando na devida concederaçaõ o exposto deliberou se passassem Editais para a arremataçaõ da dita obra para o dia treze do corrente vista a necessidade que a Povoaçaõ esta sofrendo pela falta de Agoas.»
(Arquivo Distrital de Castelo Branco, Câmara Municipal de São Vicente da Beira, Actas, Maço 5, Livro 1850-1859)

A obra foi arrematada a Antonio Joze de Báu, por 112$000 réis, sendo seu fiador Antonio Lopes Rondao, ambos de São Vicente da Beira. A fonte devia ter «...seo frontespicio e dois canos e chafaris...»
Segue-se o respetivo Auto de Arrematação. Clicar na imagem, para conseguir ler.
(Arquivo Distrital de Castelo Branco, Câmara Municipal de São Vicente da Beira, Termos de Arrematação, Maço 10, Livro 1848-1855)

Nenhum comentário: